Arquivo da tag: Projeto Segurança Alimentar Alto Arapiuns

Segurança Alimentar

Projeto de Segurança Alimentar e Conservação Ambiental

seguranca alimentarAs comunidades ribeirinhas do Alto Arapiuns possuem uma alimentação muito próxima das comunidades indígenas, cuja dieta básica é a farinha de mandioca, caça e pesca.

Para o plantio da mandioca os ribeirinhos utilizam o sistema tradicional da Amazônia de “corte e queima”, abrindo clareiras na floresta. A própria floresta tem a capacidade de recompor essa clareira quando tais comunidades são nômades e migram de tempos em tempos para outras áreas. Entretanto, a mudança na utilização das terras na Amazônia com a fixação e posse das terras por comunidades ribeirinhas, traz conseqüências ao sistema como o empobrecimento dos solos sem possibilidade de regeneração, e escassez de caça, o que, de fato, já é relatado pelos moradores destas comunidades. Adicionalmente a bacia do rio Arapiuns, devido a um problema de acidez característico de suas águas, não é rica em peixes.

Estas constatações sugerem um projeto para construir junto à comunidade, capacidade de adaptação às novas realidades do sistema agrícola que agreguem os conhecimentos tradicionais com novas técnicas de cultivo. Essa construção gerará um projeto de segurança alimentar que permita melhoria na qualidade dos solos, proporcione um aumento de produtividade dos roçados de mandioca assim como uma diversificação na produção, e diminua as áreas de desmatamento, trazendo bons resultados tanto na melhoria da saúde das pessoas como na saúde ambiental.

Em abril de 2013, a mestre em economia, Cristina Fachini, pesquisadora pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, e o biólogo, Paulo Santana, especialista em projetos socioambientais, visitaram a comunidade de São Francisco do Aruã e passaram três dias conhecendo seus moradores, as técnicas de cultivo, os sistemas de produção, e as fontes de alimentação.

Em conversa com seus moradores, entre eles, a responsável pela merenda escolar, a agente comunitária de saúde, o presidente da associação comunitária, identificou-se que um projeto de segurança alimentar seria prioritário para fornecer outras fontes naturais e saudáveis de alimentos, gerar garantia de abastecimento e alternativas de geração de renda. Esse projeto estaria baseado no desenvolvimento compartilhado de sistemas de produção de alimentos que sejam adaptados e coerentes ao ambiente.